12.23.2011

Natal, e viva ao consumismo!

     Já lá vai o tempo em que era católica sem saber porquê. A minha família, especialmente do lado do meu pai, é muito religiosa, quase a um nível doentio nalguns casos. À conta disso, desde pequenina que fui orientada para o catolicismo, a acreditar no menino jesus, a ir às missas, à catequese, e vá lá que não me tornaram escuteira! Eu sabia quais eram as bases das crenças católicas, mas sinceramente, desde pequena que tinha a sensação que algo estava mal... Desde que penso pela minha própria cabeça e me questiono realmente sobre esses assuntos, que me tenho apercebido que há muitos aspectos nas crenças e tradições católicas que não fazem sentido.
     Tudo isto para dizer que, sinceramente, não acho que se celebre o Natal pelo nascimento de Cristo. Não acho nem nunca achei. Desde bebés que as crianças são aliciadas é pela chegada do Pai Natal, qual menino Jesus. Esse não trás cá prendas, o magano! 
     Já lá vão uns anos que não sou católica, porque já me sentia hipócrita de me declarar crente duma religião com a qual não me identificava minimamente e que para mim tem tanto contrasenso que, enfim, já não faz sentido nenhum. Porém, não sou o tipo de pessoa que odeie o Natal. Vejo imensa gente que diz que não pode com esta época, seja pelo cariz religioso, seja pelo consumismo excessivo. Eu, antes pelo contrário, gosto mesmo do espírito natalício.
     Gosto das canções de Natal, das decorações, da neve falsa nas janelas (em casas alentejanas então, rio-me tanto, adoro), dos anjinhos todos pirosos aqui e ali... Que é que se há de fazer? 

     Por outro lado, em relação ao consumismo... Claro que não gosto do facto de hoje em dia o Natal só significar PRENDAS, mas o que me interessa é eu não ser consumista. A minha política é mesmo só dar presentes simbólicos, com que eu saiba que as pessoas a quem os vou dar se indentifiquem. Claro que isso nem sempre é tarefa fácil, especialmente quando se tratam de prendas para rapazes (estou totalmente à rasca), mas acho mesmo horrível dar prendas genéricas, só por dar. Isso sim, tira o espírito natalício todo.

     Como tenho orçamento de estudante, também estabeleço um limite de dinheiro a gastar e tento dar presentes mais ou menos no mesmo valor a toda a gente - que não é muita, limito-me a família e amigos próximos. 


     Quanto aos chamados self-presents... Isso já é outra coisa, haha! No proximo post falo desses maganos. Benditas promoções da pressa 

    Feliz Natal followers fofinhos!

12.11.2011

Gaga, Marry the Night make-up series: Parte 2 - Ballet

     Marry the Night e o belo do segundo look!



     Adorei este, embora muito neutro. Penso que é o brilho pérola, dos olhos aos cheekbones que me atraiu. Vê-se muito mal a maquilhagem nesta parte do vídeo, e é muito pouco tempo, por isso foram imensos print screens que tirei.



Foi sem dúvida o look mais neutro do vídeo, mas lá tem o seu toque à la Gaga. O face chart:



E, claro, os produtos: 

MAC Brulle
MAC Espresso
Sephora colorful mono chrome 03
Essence gel eyeliner 01 Midnight in Paris
The Color Workshop neutral lipstick
Catrice 430 Luke Skystalker
KIKO Luxurious Lashes

     Este look é bastante neutro mesmo. Para qualquer pessoa que goste de weareable stuff e que não goste especialmente de arriscar na maquilhagem que usa no dia-a-dia, esta é perfeita para dar um aspecto diferente - basta trocar os brilhos nos cheekbones por um iluminador normal, deixar as próprias sobrancelhas e voiláEspero que tenham gostado!



Gaga, Marry the Night make-up series: Parte 1 "I'm gonna make it"

"I'm gonna make it."


     Olha eu excitadíssima com o Marry the Night! O fim-de-semana passado, nesse aspecto foi o delírio, andei viciada na música e no vídeo. A Gaga só sabe surpreender.
     A "curta metragem" ao início estava qualquer coisa! Identifiquei-me mesmo. Gaga diz que este vídeo era como uma auto biografia para ela, e sinceramente, acredito.

     Naturalmente, tinha de me chamar à atenção a maquilhagem dela. Deu-me logo vontade de experimentar tudo, e lá fui eu. Acabei por gravar todos os looks, e postei um no youtube! 



     Este é o look do início do vídeo, em que a nossa Mother Monster está na maca do hospital psiquiátrico. Os olhos são roxos para parecerem doentes, tem as sobrancelhas apagadas mas a notarem-se e lábios laranja. É a maquilhagem mais simples de todas!


Algo me faz adorar estas sobrancelhas apagadas!

     Na intro do vídeo, estou a usar a maquilhagem do look nº 5, em que ela está a dançar numa sala de ensaios, com os outros bailarinos. Trata-se apenas de smokey eyes simples mas arredondados, com um flick no canto externo apenas. 

     Fiz face charts para todos os looks. 



Face chart para o 1º look

     Este foi mesmo o primeiro face-chart que fiz em toda a minha vida, está bem borradão haha. O batom é dificílimo de por em papel texturado.

     E agora, aos produtos!
     No próprio vídeo fui pondo o nome dos produtos usados, mas só para vos facilitar a vida, têm aqui uma ajudinha:

Catrice Light-Reflecting Concealer
MAC Brulle
MAC Fashion Groupie
KIKO Luxurious Lashes
Essence lipliner 09 Nude Coral
Sephora Rouge R07

     Espero que tenham gostado, o tutorial seguinte sai hoje!


PRESSÃO

    As ultimas semanas têm sido o total pânico - basicamente já quase não tenho vida social devido à escola. Ando de nervos em franja, mal durmo, como mal, e à conta disso tudo adoeci e estou com tantas aftas que mal falo decentemente. 
     E mais que nunca, tenho andado a pensar. Nunca me dediquei com tanto afinco à escola, porque sinceramente, nunca me custou. Sempre fui o género de aluna que sem esforço tirava boas notas. Porém, chego ao secundário, e tenho o azar de ir para um liceu em que os professores, para darem a impressão de serem exigentes, não dão boas notas. Tão simples quanto isso. Aqui, 18's e 19's são para aliens, para humanos NUNCA. E agora, motivação? Pois, pois.
    O que é facto é que no ano passado, no meu 10º em artes, com a falta de vontade que tinha, limitei-me às notas que ia tirando, com o mesmo esforço que punha na básico. Acabei com uma média de 15. E este ano? Este ano, comecei as aulas mesmo a bulir, e não tem compensado. Está tudo a cair em cima de mim.
     Depois ainda dizem que a adolescência é a melhor altura da vida de uma pessoa, que não devemos deprimir, e toda essa conversa bonitinha. A adolescência? A adolescência, para quem seja ambicioso em relação ao futuro, é para estudar até cair as pestanas! Odeio pensar que é assim, mas cada vez acho mais que é a realidade.
     Por isso, tenho um plano. Que se foda a adolescência. Cada vez mais os jovens a vivem nos seus early 20's, e se isso for preciso para alcançar os objectivos que quero, então que seja. É assim - o sistema é nojento, as pessoas não deviam depender do sistema de ensino para ter bons futuros, até porque as escolas já não ensinam nada. Devia haver melhores métodos de ensino, mais personalizados, com metas humanas, não metas para sobredotados. A infância e adolescência deviam ser vividas como deve ser, devia aprender-se mais pela experiência e não por regras estúpidas que professores incapazes e livros desactualizados nos ditam.

     Enfim, eu stressada. Que tenham um melhor domingo que eu.